.

E pra tudo acabar em. No mais profundo e violento desejo. Selvageria. E por que não somos livres? Se tudo que se consome é pra esse fim?! Sou cria dessa cisma burra e careta. O comum seria na rua quando se precisasse. Posso ter um dia de escritor em casa sem culpa? Posso buscar tranquilidade pra esse canto de dentro? Estamos atravessando a era do tédio. O tédio em seu trivial caminho desfila por entre minha rua depois circula a cidade inteira e sufoca a todos. Quero conhecer um ser humano ao menos que foi capaz de pensar a vida sem que tenha esbarrado com a tristeza. Fico nu em casa então. Em protesto solo. Aguardando notícias de outros mundos pelos aplicativos. Alguém há de querer entrar nessa dança. Aguardemos. Como sempre. Não adianta querer buscar sentido quando o sentido é o que menos se deseja. Fuma. Você não precisa ir para a rua. Você nesse momento não precisa. Aproveite. Correr pra que? Comer por que? Sair pra onde? Ah sim, pra acabar tudo em. Hoje dispenso. Preciso entender três coisas:

1.     onde foi mesmo que guardei todas aquelas sensações?
2.     quem avisou a policia que estou morto?
3.     do que eu lembro antes da patada do leão?




Mahatma Andy 
29.03.2014

Comentários

Postagens mais visitadas